sexta-feira, 14 de Agosto de 2020

 
RL 468x60
Carga & Mercadorias
13-02-2020

Scania R540 A4x2NA
O motor de seis cilindros mais potente
Graças ao novo motor de seis cilindros em linha de 540 cv, a Scania propõe uma alternativa ao bloco V8, que oferece um custo total de utilização inferior e uma maior capacidade de carga.



Para operações que exigem uma maior potência, uma velocidade comercial mais elevada ou têm limitações de peso, a Scania desenvolveu uma nova versão do seu motor de seis cilindros de 13 litros com 540 cv. Após os sucessos alcançados nos prémios Green Trucks Award, na Alemanha, durante três anos consecutivos com os motores de 13 litros, a Scania decidiu lançar uma motorização mais potente, que oferece um excelente consumo de combustível e a utilização apenas do sistema SCR (Redução Catalítica Seletiva) para o pós-tratamento dos gases de escape.

O novo DC13 540 constitui uma alternativa ao propulsor V8 de 520 cv e pesa menos 30 quilos, dirigindo-se a clientes e mercados onde a legislação relativa a cargas nos eixos dianteiros impede a opção pelo motor de oito cilindros, mas também para aplicações que exigem a tara mais baixa possível – transporte de matérias perigosas, automóveis, madeira, entre outras –, podendo também ser utilizada no transporte de longo curso, onde é desejável uma velocidade média superior.

Como já é habitual nos motores da Scania, o binário máximo de 2.700 Nm está disponível a baixas rotações, entre as 1.000 rpm e as 1.300 rpm. A nova motorização de 540 cv partilha igualmente a maioria da sua tecnologia com outros motores da Scania como o robusto turbocompressor de geometria fixa e com rolamentos de esferas em vez de mancais de deslizamento.

O novo motor DC13 de 540 cv está associado a uma caixa de velocidades automatizada de 12 velocidades, com secção planetária de transferência de gama e carreto duplicador, e um retarder descontável com uma capacidade de 4.100 kW. A marca sueca introduziu a travagem do veio secundário que é de série nas caixas Scania Opticruise. Em conjunto com um software revisto para controlo da cadeia cinemática, o sistema de travagem do veio secundário estabelece a sincronização entre o veio secundário e o principal, garantindo um engrenamento mais rápido. Esta solução possibilita o acionamento quase imediato da mudança. Além disso, a utilização da travagem do veio secundário em conjunto com a transmissão síncrona não só reduz o tempo de ativação da mudança, como ajuda a manter a pressão do turbocompressor. Dessa forma, a caixa de velocidades passará para a mudança acima, com maior potência. Esta funcionalidade permite um melhor controlo da condução em condições adversas, assim como um melhor desempenho em todos os tipos de estrada, incluindo um melhor binário no arranque.

A combinação do motor DC13 de 540 cv à caixa de velocidades automatizada Scania Opticruise permite tirar o melhor partido da cadeia cinemática, não só em termos de agradabilidade de condução, mas também de consumo de combustível. A unidade disponibilizada para ensaio, com cabina Highline da Série R (CR20) com tejadilho elevado, registou um consumo médio no ensaio de 30,36 l/100 km e a uma velocidade média de 61,67 km/h, confirmando os pergaminhos da marca sueca no que diz respeito ao desempenho do combustível.



Cabina R Highline
Como já dissemos, a unidade ensaiada conta com uma cabina da Série R, cujas linhas e superfícies foram otimizadas em termos aerodinâmicos para uma resistência mínima. Alguns equipamentos como os defletores de ar e laterais foram integrados numa cabina, cuja estrutura foi construída com aço de alta resistência.

A cabina da Série R oferece um elevado espaço interior e vários compartimentos para arrumações. O habitáculo oferece um aspeto premium, o que se deve não só aos materiais de qualidade utilizados, mas também ao rigor da montagem. O teto alto oferece uma altura interior mais do que suficiente para uma pessoa de estatura mais elevada, enquanto a posição de condução está bem enquadrada com o volante. Todos os comandos estão facilmente acessíveis e muitas das funções podem ser comandadas através do volante multifunções. A unidade ensaiada contava com um painel de bordo ergonómico, com tomadas de 12V, 24V e USB, travão de estacionamento elétrico, assim como um sistema de entretimento premium, com navegação otimizada para pesados e emparelhamento com smartphone. Os bancos do condutor e do passageiro são em couro.

Em termos de segurança passiva, a nova geração de cabinas da Série R está equipada com um airbag de cortina lateral, que está integrado no tejadilho no lado do condutor. Esta tecnologia foi estreada pela Scania nos camiões. Em combinação com o cinto de segurança, os airbags laterais permitem reduzir as consequências dos acidentes típicos com camiões, como, por exemplo, em caso de capotamento após uma manobra evasiva forçada que leva a uma saída de estrada.

Para auxiliar a condução, a unidade ensaiada contava com vários sistemas como o assistente de manutenção de faixa de rodagem, o cruise control adaptativo, sistema eletrónico de travagem, programa eletrónico de estabilidade, arranque de auxiliar em subida. A combinação de alguns destes sistemas permite o acionamento, através de um botão no volante multifunções, da função platooning: o camião reconhece um outro camião (apenas nesta situação) à sua frente e vai mantendo sempre a mesma velocidade e uma distância constante. Se um ligeiro ficar entre os dois camiões, o sistema é desativado, só voltando a funcionar quando o veículo deixar de estar entre os pesados.

por Carlos Moura Pedro
1568 pessoas leram este artigo
588 pessoas imprimiram este artigo
0 pessoas enviaram este artigo a um amigo
0 pessoas comentaram este artigo
Comentários
Não existem comentários
  
Deixe o seu comentário!

 


 

  

 
 
 
 
 
 












RSS TR Twitter Facebook TR Transportes em revista

Dicas & Pistas © 2009, Todos os Direitos Reservados

Condições de Utilização | Declaração de Privacidade
desenvolvido por GISMÉDIA