segunda-feira, 17 de Dezembro de 2018

 
STCP
Passageiros & Mobilidade
25-10-2018
Tiago Farias, presidente da Carris
«Todos os operadores devem fazer parte da solução»
Tiago Lopes Farias, presidente da Carris, foi o convidado da segunda sessão do Ciclo de Palestras SRS Advogados/Transportes em Revista, reservada ao tema: “Tendências do Transporte Público em Lisboa”. Na sua apresentação, o responsável da empresa municipal afirmou que estamos a viver uma «gigante revolução em termos da legislação e contratualização», contudo, «o foco deve ser o passageiro». Segundo o presidente da Carris, «estamos perfeitamente alinhados com as novas regras em termos de contratualização, tudo o que seja sistemas, rede e tarifários, dentro de uma abrangência metropolitana».

«A Carris, como principal player de transportes rodoviários na cidade de Lisboa e na Área Metropolitana de Lisboa, tem um papel fundamental como entidade estruturante em termos de ligação daquilo que é o transporte urbano dentro da cidade e todos os atores que alimentam a cidade de Lisboa. Nesse aspeto, a Carris tem como visão reforçar a sua capacidade operacional, quer em termos de autocarros, quer em termos dos elétricos», explicou Tiago Farias, à Transportes em Revista.

Sobre a atual tarifação, Tiago Farias considera que «o sistema tarifário é integrado mas não cobre toda a Área Metropolitana de Lisboa», isto é, «não é abrangente». Segundo números apresentados pelo presidente da Carris, 80% da área está fora do modelo praticado pela cidade de Lisboa, o que corresponde a 30% das pessoas de toda a AML. «Este é um desafio muito grande, um problema que tem de ser ultrapassado», aferiu. «A Carris tem sido um dos pioneiros em termos de perceber que esta revolução ia acontecer, através do seu líder, que é o presidente da Câmara Municipal de Lisboa [Fernando Medina], que sempre teve uma visão estratégica para uma Carris que pudesse ser mais estruturante».

A gestão do espaço público foi outra questão abordada pelo presidente da Carris, uma vez que este é um aspeto «importante para os operadores de mobilidade», num período em que «mais e mais players entram para o sistema». Na sua opinião, «a capacidade de todos coabitarmos no espaço público, é um grande desafio».

Para o futuro, que é já amanhã, Tiago Farias destacou o Mobility As A Service (MAAS) como elemento fundamental para o «sucesso de uma cidade». Aqui, a multimodalidade, o serviço integrado, ter uma conta única e um smartphone, farão toda a diferença na mobilidade dos cidadãos.

No final, Tiago Farias, questionado sobre o papel da Carris na recém-criada marca, Carris Metropolitana, da empresa Transportes Metropolitanos de Lisboa, foi contido, ao afirmar que «a Carris é o operador interno da cidade de Lisboa e que, obviamente, desenvolverá todos os esforços para ser titular da melhor forma com o operador que venha a operar no âmbito da Área Metropolitana de Lisboa». Para o presidente da Carris, «o que se pretende para a cidade de Lisboa é um sistema integrado, o mais uniforme possível. Independentemente de o operador Carris, empresa municipal, operar essencialmente na cidade de Lisboa, o que se pretende é que haja uma integração o mais plena possível, e é isso que está a ser traçado pelas autoridades».

por: Pedro Venâncio
932 pessoas leram este artigo
154 pessoas imprimiram este artigo
0 pessoas enviaram este artigo a um amigo
0 pessoas comentaram este artigo
Comentários
Não existem comentários
  
Deixe o seu comentário!

 


 

  

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 





Chronopost







RSS TR Twitter Facebook TR Transportes em revista

Dicas & Pistas © 2009, Todos os Direitos Reservados

Condições de Utilização | Declaração de Privacidade
desenvolvido por GISMÉDIA