sexta-feira, 18 de Outubro de 2019

 
RL 468x60
Passageiros & Mobilidade
31-01-2019
Mobilidade e transição energética
GASNAM considera que gás natural deve ser “incentivado”
No âmbito da transição energética, a GASNAM defende que o gás natural e o gás renovável podem “ter um papel mais relevante” face ao que é atualmente e defende que “a adoção deste tipo de combustível deve ser incentivado, não devendo ser discriminado relativamente a outras fontes de energia sustentáveis”. 

Em comunicado, a empresa diz ainda que “a relevância do gás natural, do gás renovável, do gás sintético e do hidrogénio como combustíveis avançados adequados a uma economia de baixo carbono, responde às questões que atualmente são colocadas pela necessidade da redução de emissões poluentes e de gases de efeito de estufa perspetivadas pelas diversas organizações ambientais e de clima”.

A empresa defende, contudo, que “nas próximas décadas, irão coexistir diversas motorizações e fontes de energia nas diferentes classes de veículos, não sendo provável que alguma se torne dominante a curto prazo”.

A discussão em termos de sustentabilidade e emissões poluentes que atualmente se desenvolve “deve considerar toda a vida do veículo e não apenas o seu funcionamento assim como as fontes de energia primária que utiliza. Por outro lado, existem soluções que ainda não garantem a autonomia e potência indispensáveis a muitos tipos de utilização”, recorda a GASNAM em comunicado.

De acordo com os diversos especialistas e avaliações independentes, o gás natural, em particular o gás natural renovável, representa uma das soluções mais abrangentes e sustentáveis para todo o tipo de utilização, em particular devido aos avanços recentes da tecnologia de motores.

Nesse sentido, o Conselho Europeu de 20 de Dezembro refere na proposta de Regulamento de Emissões de CO2 para veículos pesados “a implantação de tecnologias atuais e futuras mais inovadoras baseadas em GNL contribuirá para o cumprimento das metas de emissão de CO2 a curto e médio prazo, uma vez que o uso de tecnologias de GNL leva a menores emissões de CO2 em comparação com veículos a diesel. Além disso, as atuais tecnologias de GNL garantem um baixo nível de emissões de poluentes atmosféricos, como NOx e partículas”.
 
Em Portugal já existe, e está em forte expansão, uma infraestrutura adequada às necessidades atuais de abastecimento, sendo cada vez mais a opção dos transportes públicos de passageiros e das principais empresas de transportes pesados de mercadorias.

A existência em Portugal de uma experiência piloto muito bem-sucedida de utilização de biogás para a produção de bio-metano a partir de fontes renováveis, com tecnologia portuguesa, e o potencial de utilização deste combustível nos veículos a gás natural, aconselha um reforço das frotas, o investimento em estações de produção e tratamento de biogás para a sua utilização como combustível sustentável.
 
por: Sara Pelicano
1177 pessoas leram este artigo
411 pessoas imprimiram este artigo
2 pessoas enviaram este artigo a um amigo
0 pessoas comentaram este artigo
Comentários
Não existem comentários
  
Deixe o seu comentário!

 


 

  
BP Toolbox

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 












RSS TR Twitter Facebook TR Transportes em revista

Dicas & Pistas © 2009, Todos os Direitos Reservados

Condições de Utilização | Declaração de Privacidade
desenvolvido por GISMÉDIA