sábado, 21 de Abril de 2018

 
Carga & Mercadorias
10-04-2018
Paulo Paiva, presidente da APAT
«Falta uma estratégia transversal à atividade logística e do transporte»
Os novos órgãos sociais da APAT para o triénio 2018-2010 tomaram hoje posse em Lisboa. As eleições que decorreram no passado dia 23 de março determinaram a reeleição de Paulo Paiva, da Geocargo Transitários, para o cargo de presidente da direção da APAT. Paulo Paiva será acompanhado na direção da associação por Daniel Pereira, da Jomatir Trânsitos; Luís Paupério, da Moltrans Porto; Joaquim Pocinho, da Logislink e Ana Cristina Pereira, da Expeditors. A mesa da Assembleia Geral é presidida por António Dias, da Marmod, que liderou os destinos da associação até 2015.
Numa sessão que contou com a participação dos representantes máximos da AMT e IMT, João Carvalho e Eduardo Feio, respetivamente, Paulo Paiva revelou que o facto de a União Europeia ter decretado o ano de 2018 como o ano da multimodalidade, levou a APAT a associar-se a esta iniciativa e declarar «2018 como o ano do transitário»
Segundo o responsável, «o agente transitário é o agente multimodal, por excelência» e que os operadores assumem-se cada vez mais como «integradores e facilitadores dos serviços logísticos e de transporte». Para Paulo Paiva, os agentes transitários e as parcerias que realizam com os agentes do setor têm «permitido impulsionar a Economia portuguesa», nomeadamente na componente exportadora.
O presidente da APAT ressalva que durante o próximo triénio os objetivos da associação estão assentes em quatro vertentes: institucional, serviços, comunicação interna e externa e formação contínua dos seus recursos humanos. A APAT realça que irá apostar numa maior representação dos associados junto da Tutela e em parcerias internacionais com associações congéneres, nomeadamente com origem nos PALOP.
Por outro lado, irá promover mais ações de formação, de gestão de qualidade e também apostar numa plataforma de e-learning, assim como na dinamização da comunicação junto dos associados e do setor através da sua revista. Paulo Paiva também salientou que a APAT irá contribuir para que seja realizada uma análise sobre a evolução do mercado português da carga aérea, e que um dos grandes objetivos da associação passa por sensibilizar a Tutela para a apresentação de uma estratégia nacional para o setor das mercadorias. Em declarações à Transportes em Revista, o responsável revelou que «falta uma estratégia que seja transversal à atividade logística e do transporte de mercadorias. O Governo apresentou uma estratégia para os portos, mas esta tem de ser integrada com todos os outros modos».

por: Pedro Pereira
Tags: APAT   Logística   Transitários  
915 pessoas leram este artigo
86 pessoas imprimiram este artigo
0 pessoas enviaram este artigo a um amigo
0 pessoas comentaram este artigo
Comentários
Não existem comentários
  
Deixe o seu comentário!

 


 

  



Spinerg


  




Chronopost







RSS TR Twitter Facebook TR Canal Transportes Online

Dicas & Pistas © 2009, Todos os Direitos Reservados

Condições de Utilização | Declaração de Privacidade
desenvolvido por GISMÉDIA