sábado, 20 de Outubro de 2018

 
Passageiros & Mobilidade
17-01-2018
Metro do Porto
Novas linhas vão gerar uma receita de 7 M€
A Metro do Porto (MP) vai crescer com a construção da linha Rosa e prolongamento da linha Amarela até 2022, infraestruturas que vão permitir o aumento do número de passageiros e de receitas. 

Em entrevista à Transportes em Revista, que poderá ler no número 178 (brevemente disponível), Jorge Delgado, presidente da Metro do Porto, declara que «de acordo com o estudo de procura estrutural, elaborado pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, estima-se um acréscimo de validações médio na ordem das 33 mil por dia, o que corresponderia a mais de 20 mil euros/dia, ou seja mais de sete milhões de euros ano».

Recorde-se que, em 2017, o MP transportou mais 2,6 milhões de passageiros do que em 2016, com um total de 60,6 milhões de validações (+4,5% face a 2016).

Os contratos com as empresas que vão fazer o projeto de expansão da rede foram assinados a 15 de janeiro, na presença de José Mendes, secretário de Estado adjunto do Ambiente. As empresas que vão elaborar os projetos apresentaram propostas que rondam os 3,3 milhões de euros (1,82 milhões de euros na Linha Rosa e 1,47 milhões de euros na Linha Amarela). O montante ficou abaixo do valor de referência fixado para o concurso, de 4,7 milhões. O total da obra, está previsto que o investimento chegue aos 290 milhões de euros. A adjudicação da obra e consequente início estão agendados para em 2019.

As novidades da MP passam também por maior integração dos diferentes meios de transportes da cidade e mais otimização dos custos. Jorge Delgado adiantou que «temos que facilitar ainda mais a vida às pessoas, para que elas possam querer andar de transporte público e para isso ser conseguido é preciso, temos de integrar mais modos de transporte num mesmo pacote de viagem, que permitam fazer o ciclo de viagem completo», um tema que está a ser discutido com os Transportes Intermodais do Porto (TIP).

Quanto à otimização dos tarifários, foi recentemente anunciada a aplicação ‘Anda’, uma versão desmaterializada do sistema de bilhética Andante. Através do telemóvel, é possível validar as viagens e pagar posteriormente numa fatura emitida ao final do mês com valor efetivamente gasto ao longo do mês. José Mendes referiu que "a aplicação 'Anda' é um título 'Andante' desmaterializado, que evita preocupações com o tipo de viagens a comprar, no início do mês ou a cada deslocação, porque o sistema atribui a cada passageiro o tarifário mais favorável, enviando-lhe a fatura para casa”.





 
por: Sara Pelicano
1747 pessoas leram este artigo
338 pessoas imprimiram este artigo
1 pessoa enviou este artigo a um amigo
2 pessoas comentaram este artigo
Comentários
17-02-2018 23:54:45 por Mov. Mov. Defesa Ramal da Lousã
Não havendo financiamento para o tal fantasma do metro, prometido há mais de 20 anos, tratem de devolver quanto antes o comboio ao Ramal da Lousã, de acordo com as resoluções da Assembleia da República.
19-01-2018 19:34:10 por LUIS RIBEIRO
O METRO DE COIMBRA É QUE JÁ DEVERIA ESTAR A FUNCIONAR, NÃO É SO LISBOA E PORTO.
  
Deixe o seu comentário!

 


 

  

 
Spinerg


  





Chronopost







RSS TR Twitter Facebook TR Canal Transportes Online

Dicas & Pistas © 2009, Todos os Direitos Reservados

Condições de Utilização | Declaração de Privacidade
desenvolvido por GISMÉDIA