domingo, 28 de Maio de 2017

 
Reta
Carga & Mercadorias
14-03-2016
Setor diz-se de luto
ANTRAM e ANTP exigem demissão de Caldeira Cabral
As duas associações que representam as empresas de transporte rodoviário de mercadorias exigem a demissão do ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, após declarações do governante em que apelava ao “civismo” da população da fronteira, pedindo-lhe para não abastecer combustível naquele país, porque assim está a pagar impostos lá, o que considerou "mau" para as contas públicas portuguesas.
O dirigente da Associação Nacional das Transportadoras Portuguesas (ANTP), Márcio Lopes, afirmou à comunicação social que as empresas de transportes se sentem "gozadas" pelo Governo, recusando que os transportadores sejam antipatrióticos, apesar de admitir que vão continuar a abastecer os camiões de combustível em Espanha.
"Aquilo que nós, setor dos transportes, exigimos é que o ministro se demita. Porque aquilo que o ministro falou é de uma pessoa que não tem a noção daquilo que é ganhar o dia-a-dia justamente e legalmente. Ele não faz contas, temos de lhe oferecer uma calculadora", afirmou o dirigente da ANTP. Márcio Lopes acrescentou que as declarações de Manuel Caldeira Cabral "são contra todos os portugueses e diretamente vocacionadas também para o setor dos transportes".
Por sua vez, o presidente da ANTRAM (Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias, Gustavo Paulo Duarte, afirmou que o setor “está de luto” e que os camiões vão circular nos próximos 15 dias com faixas negras penduradas. “Aquilo que vindo a acontecer é um profundo desconhecimento e uma afronta aos empresários deste setor", afirmou Gustavo Duarte. O setor dos transportes “declara-se de luto durante 15 dias e espera 15 dias por decisões rápidas", alegou, adiantando que caso o Governo não satisfaça as pretensões das transportadoras - relacionadas, nomeadamente, com o aumento do preço dos combustíveis, que contestam - prometem "uma verdadeira marcha lenta em Portugal".
por: Carlos Moura
962 pessoas leram este artigo
223 pessoas imprimiram este artigo
0 pessoas enviaram este artigo a um amigo
1 pessoa comentou este artigo
Comentários
27-03-2016 19:02:52 por LILLY
Os associados da ANTP e ANTRAM e respetivos agregados,quando ficarem doentes devem recorrer a Espanha, pois é lá que deixam os impostos. Mais, é em Espanha que devem vacinar os filhos e netos etc, etc. Os camiões deviam pagar mais, porque só servem para estragar o piso por onde circulam. Outrora não havia este tipo de transporte e ninguém morreu à fome. O Minist. Manuel Caldeira Cabral devia obrigar os comboios a transportarem as mercadorias. Se as empresas dos transportes tivessem tanto prejuizo como dizem, não tinham 200, 300, 1000 camiões.
  
Deixe o seu comentário!

 


 

  



Spinerg


  





Chronopost







RSS TR Twitter Facebook TR Canal Transportes Online

Dicas & Pistas © 2009, Todos os Direitos Reservados

Condições de Utilização | Declaração de Privacidade
desenvolvido por GISMÉDIA