domingo, 21 de Julho de 2019

 
caetano 468x60
Passageiros & Mobilidade
23-11-2011
Ausência de alternativas rodoviárias
Adiado encerramento das linhas do Oeste e do Vouga
O serviço de passageiros nas linhas do Vouga e do Oeste vai continuar a ser assegurado em janeiro, ao contrário do previsto no Plano Estratégico de Transportes apresentado pelo Governo a 15 de outubro.
A ausência de condições para a concessão de alternativas rodoviárias para aqueles serviços e a forte contestação dos autarcas da região Oeste, incluindo do influente presidente da Câmara Municipal das Caldas da Rainha, Fernando Costa, que chegou encomendar um estudo que aponte soluções para a melhoria e sustentabilidade da Linha do Oeste, estiveram na origem do adiamento do encerramento daquelas linhas.
Em declarações à comunicação social”, fonte do ministério da Economia e do Emprego refere que esta decisão “não corresponde a qualquer recuo nas reformas”, acrescentando que as mesmas a concretizar no setor dos transportes têm como princípio que a mobilidade das populações será garantida, pelo que, caso se considere que algum dos serviços de transporte de passageiros que passarão a ser assegurados através de concessões rodoviárias, não reúnam as condições em tempo útil, naturalmente que as populações não irão ficar sem transporte público”. Caberá ao IMTT – Instituto da Mobilidade e Transportes Terrestres lançar os concursos para as concessões rodoviárias dos troços ferroviários a encerrar.
O Plano Estratégico de Transportes, recorde-se, previa o encerramento do serviço ferroviário em 600 quilómetros de linhas para que a CP poupasse cerca de 5,6 milhões de euros por ano. Além das linhas do Oeste e do Vouga, o documento admitia ainda o fim do serviço de passageiros na Linha do Leste, entre Abrantes e Elvas, e o encerramento total do troço Beja – Funcheira, na linha do Leste.
Adiadas ficaram também as alterações aos horários e percursos dos serviços internacionais SudExpresso (Lisboa – Hendaya) e Lusitânia Expresso (Lisboa – Madrid), uma vez que essas mudanças têm de ser negociadas com a Renfe.

660 pessoas leram este artigo
201 pessoas imprimiram este artigo
0 pessoas enviaram este artigo a um amigo
0 pessoas comentaram este artigo
Comentários
Não existem comentários
  
Deixe o seu comentário!

 


 

  

 
 
 
 
 
 
 
 
 












RSS TR Twitter Facebook TR Transportes em revista

Dicas & Pistas © 2009, Todos os Direitos Reservados

Condições de Utilização | Declaração de Privacidade
desenvolvido por GISMÉDIA